Archive for the ‘Shits Your Aunt Says’ Category

Lembrei-te de escrever este texto como me lembro de escrever todos os textos que me lembro de escrever,  e apeteceu-me “mandá-lo” para o concurso da Hayley (porque é ela que vem cá buscá-lo), que agora que penso no assunto podia ter divulgado, mas pronto, desculpa lá Hayley. Eu acho que publicaria o texto de uma maneira ou da outra, não estou a pensar em ganhar créditos com isto, ele continua aqui publicado e vale o mesmo para mim premiado ou não. Nem acho que seja algo com um valor literário ao ponto de ir a concurso, hahaha, mas pronto, não me lembrei de mais nada! 

O batimento do coração da minha mãe a acalmar-me, o meu pai a pegar-me como um avião e eu a fechar os olhos para tentar adivinhar para onde ele me levava, a minha irmã mais velha a fazer uma concha com as mãos enchendo-as de água para de seguida me molhar o cabelo e cara e eu me rir, uma menina a correr nos seus patins e eu nos meus num pátio longínquo, um corredor de cacifos do passado onde eu e a minha irmã sem laços de sangue partilhámos segredos e criámos expetativas, um rapaz a encostar os seus lábios nos meus num movimento tão desastrado, tosco e especial. E tu, deitado num berço de hospital, vestido e amarelo, com mãos pequeninas e um choro tão meiguinho e dócil.
De todas as maneiras o amor sempre me surpreendeu e tem feito mais do que manter-me inteira, tem-me feito viver, e surpreende-me como é que algo tão bom ainda não tem um imposto acrescentado. E tu um dia vais aprender – um dia que não queria que chegasse porque recorda-me do meu e do teu inevitável fim – um dia tu vais aprender mais do que uma maneira de amar e vais ver que não será só uma questão de sobrevivência, vais entender que é pelo amor que nós vivemos, e que nós vivemos pelo amor. Esquece a vingança, esquece as guerras, esquece o trabalho das nove às cinco, esquece o dinheiro, esquece os vícios, esquece tudo o que te faz esquecer de viver e promete-me aqui e agora, antes que seja tarde de mais, faz-me e cumpre esta promessa, promete que vais ser um homem que me vou orgulhar depois de eu estar dois metros debaixo da terra. Tudo o que quero é que chegue a ti esta minha mensagem, feijão, tudo o que quero é que ames e sejas amado.
Talvez esteja a desperdiçar o meu tempo a escrever este texto, porque quando tu o leres, o mais provável é que aqui não haja nada de novo para ti, mas neste preciso momento presente para mim e passado para ti, o mundo é um inteiro lugar por descobrir para e por ti. Tu és tão pequeno, tens um sorriso tão espontâneo, tão inocente e é-me difícil interiorizar que já fui tão casta como tu és hoje, nesse ontem que tu lês. Sabes, serve-me de algum consolo nos tempos que correm  e que eu corro saber que já fui uma criança.
E é tão difícil compreender a tua existência, sempre foste um sonho não sonhado, um sujeito hipotético e imaginado que nunca desejei mas sempre desejei, e quando soube que estavas a chegar eu não acreditei e sentei-me no sofá petrificada a querer chorar de felicidade. Era uma notícia demasiado boa para as vésperas do ano do fim do mundo. E aqui tu estás, com os teus olhos grandes fixos em mim, a sorrir quando tu deixas que eu te faça sorrir, a chorar pela tua mãe numa expressão rugosa e vermelha, a dormir e a sonhar com pequenas coisas, a dormir.
Dorme meu pequeno, dorme agora porque a vida promete-te noites insones, promete-te dias cansativos que quando a noite cai sentes que não te deveriam cansar porque ao fim e ao cabo foram inúteis, promete-te noites em branco quando estás demasiado cansado para dormir, promete-te dias longos nos quais tudo e todos parece que querem ver-te cair dum abismo. Mas eu prometo-te aqui e agora, que em muitas dessas noites que estarás acordado depois da meia noite haverá pelo menos uma noite que consideras a noite da tua vida, poderás estar acordado porque alguém não quer sair dos teus pensamentos, poderás estar acordado a trabalhar nalguma coisa que seja realmente importante para ti, poderás estar num bar a beber e a rir com as pessoas mais importantes da tua vida, poderás estar a passa-la com a pessoa que mais amas, por isso, quando estiveres a chorar a altas horas da madrugada, lembra-te disto que eu te digo. E o dia, mais comum, mais banal não te irá desiludir todos os dias, dá-lhe a oportunidade de te mostrar uma nova maneira de amar, e se não houver uma nova maneira de amar continua a amar como já sabes, e se nalgum momento não queres amar porque sentes que o amor te crava espinhos no teu corpo, ama-te ao menos, porque no momento em que te voltares a render ao amor, não valerá a pena o meu amor, o amor dos teus pais, de toda a tua família, dos teus amigos e dalguém que faz o teu coração palpitar mais depressa se tu não te amas, e esse amor pessoal e intransmissível, não te magoará tanto, porque a pessoa que tu és é a pessoa que conheces melhor.
Eu sei, eu sei, às vezes acordamos e vê-mos um monstro no espelho, às vezes as nossas atitudes e palavras deixam-nos tontos e entorpecidos, não acreditando no que acabamos de fazer ou dizer. Nada disso deixa de ser natural, por mais macabro que te pareça seria contra a natureza humana não conheceres o monstro que habita nas tuas entranhas, usa as tuas habilidades humanas e saberás dominá-lo e usá-lo para o teu próprio proveito sem magoar os que tu amas e te amam. Leva tempo, rapaz, mas não desanimes, todos nós passamos por esses momentos de dúvida que baixam as nossas guardas e os demónios aproveitam as nossas fraquezas para entrar nos nossos corpos, expulsa-os do teu ser, usa o amor para combate-los, diz-me, o que entende o Diabo do amor?
Deixa o amor que te faça sorrir, deixa o amor agarrar-te o pulso e conduzir-te para uma dança, eu estarei lá algures a levantar o meu copo para brindar a tua existência, deixa que o amor te leve aos lugares certos, deixa que o amor te deixe louco, afinal, nós não passamos de pequenas criaturas dementes que não valem nada se não saberem fazer o amor vale, eu amo-te, meu pequeno, e não sabes o quanto te agradeço por me teres mostrado naquele dia em que entrei no quarto de hospital e te vi deitado naquele pequeno berço, vestido de amarelo, com mãos pequeninas e um choro tão meiguinho e dócil, uma nova forma de amar e de ver o mundo,
Da tua tia adolescente 

Então a reação do meu cunhado foi tipo:

A reação da minha irmã durante o parto:

Ela quando o puto nasce finalmente:

Como eu estava a caminho do hospital:

Quando perguntei à minha irmã se ela tinha tido muitas dores:

Se me pedissem para fazer alguma coisa ou falassem comigo sobre algo que não fosse o menino:

Reação dos meus amigos:

Quando me mandarem mudar-lhe uma fralda:

E finalmente quando eu vi o puto fiquei tipo:

Desde quando há recém-nascidos bonitos?
Às 29 semanas…

O cérebro do bebé está a desenvolver biliões de neurónios.
O bebé cresce agora a toda a velocidade. Esta semana, pesa aproximadamente mais 250 gramas do que na semana passada (com um total de cerca de 1,150 kg) e tem pouco mais de 38 centímetros de comprimento da cabeça ao calcanhar.
Os músculos e os pulmões continuam a amadurecer e a cabeça começa a ficar maior, criando espaço para o cérebro em franca expansão – e que está bem ocupado a desenvolver biliões de neurónios. Com este acelerado crescimento, não é de surpreender que as necessidades nutricionais do bebé atinjam o máximo este trimestre.
Para se manter a si e ao bebé bem alimentados, vai necessitar de muitas proteínas, vitamina C, ácido fólico, ferro e cálcio. (Todos os dias, cerca de 200 miligramas de cálcio são depositados no esqueleto do bebé, que se encontra em fase de endurecimento.)


She’s got a baby inside
And holds her belly tight
All through the night

Just so she knows
She’s sleeping so
Safely to keep

Her growing
And oh when she’ll open her eyes
There’ll be no surprise

That she’ll grow to be
So beautifully
Just like her mother
That’s carrying
Oh Capri
She’s beauty
Baby inside she’s loving

Oh Capri
She’s beauty
There is an angel growin’ peacefully
Oh Capri
Sweet baby
And things will be hard at times
But I’ve learned to try
Just listening
Patiently
, oh Capri
Sweet baby
Oh Capri
She’s beauty
Baby inside she’s loving

Oh Capri
Your beauty

Just like your mother
That’s carrying…
Oh Capri

Tudo aponta que seja um menino, as luas da avó do pai, as teorias da outra tia da criança (a minha irmã), o sexto sentido da minha irmã (mãe da criança), a ecografia não tem a certeza, mas prontos, deve ser um puto. Gosto dos meninos porque fazem mais merda, porque não vão haver tantos stresses quando o puto arranjar uma namorada ou quando sair à noite na sua adolescência, até porque me tem a tia. Ah pois, tenho uma desculpa para ficar uma tarde inteira a ver Phineas e Ferb e ir a concertos mais tarde. Poijé filhos, não é para qualquer um.
Coisas que quero tanto fazer com o meu sobrinho(a):

  1. Ir as feirinhas de carrinhos de choque e essas coisas e andar em tudo o que seja para bebés
  2. Ir com ele a piscina e ensina-lo a nadar
  3. Passear com ele no carrinho e fingir que sou uma mãe adolescente
  4. Metê-lo a ouvir Guns N Roses, Nirvana, Green Day e por aí
  5. Metê-lo em aulas de música pa bebés que aquilo é tão fofiiinho, mas se ele não quiser prontos, tass
  6. Ir com ele ao mcdonalds 
  7. Ir com ele a bracalândia (eu sei que não é grande coisa mas eu queero)
  8. Leva-lo a concertos e festivais
  9. Ver se consigo metê-lo a ler porque ler tá difícil para as recentes gerações
  10. Construir castelos de areia com ele
  11. Meter-lhe na cabeça para cagar no que os outros pensam dele
  12. Comprar-lhe t-shirts que digam “Smells like offspring spirit”, “Sweet child of daddy”, “I’m cute and I know it”
E esta é a primeira lista. 

Fuck yeah, kid you gonna be fabulous.

É assim, eu sou tia dum feijão. E caso não saibam, isto dá-me muitas voltas a cabeça, até porque aquilo cresce o dobro numa semana enquanto posso ficar uma semana tipo zombie sem fazer nada. Mas pelo menos finjo que faço alguma coisa. O maior dilema é o nome, o maior medo é, vocês sabem. A minha irmã diz-me que não tenho nada haver com o assunto mas depois quem vai andar a limpar rabinhos e a dar banhos também vou ser eu porque ela fazia isso comigo aos 12 anos. Além disso o meu cunhado tem um gosto horrível em nomes.
Então estive a conversa com pessoal assim mais chegado sobre nomes, e as minhas próprias propostas, e as da minha irmã e do meu cunhado, e por aí adiante.

As propostas se for menino


Pedro – Foi a primeira coisa que me lembrei. É um nome lindo, juro. Dos meus favoritos. Mas tenho problemas com vários Pedros, incluindo o nosso querido Passos Coelhos
Miguel – Af, tão comum. E são tantos que escolhem este nome para segundo nome
Diogo – Huuum, não, é um nome direi, particular, por causa duma história. Eu tinha 12 anos e havia um deficiente físico-motor chamado Diogo que me perseguia, então eu tive tanta pena dele que prometi a mim mesma não namorar, nem casar, nem ter um filho, nem nada do género chamado Diogo. Há promessas que são feitas para serem quebradas
Edgar – NÃO
Samuel – Esta fui eu. O meu cunhado perguntou logo Samuel Massas?, não dá também. Já imaginaram um menino de três anos a correr pela casa a gritar “TRINTA!!!”? Seria mais “TINTAAA” ou isso
Barney Stinson – O bebé seria legend…. wait for it… DARY! Legendary! Não, ele vai ser legendary de uma forma ou outra, não precisa de se chamar Barney Stinson. Especialmente se for parecido com a tia
Carlos Henrique – A minha mãe. Tinha de ser. Era para ser o meu nome, mas não tenho um pénis
Rodrigo – Já há um Rodrigo na família. Af, gosto tanto do nome. Ainda tentei Rodrigo Pedro ou Pedro Rodrigo, mas não sei se fica bem
Simão – Fui eu, mas a Waffles lembrou-me logo que dá para fazer muitas piadas.
Zulmiro – A gente tenta
Ambrósio – Ah não mas é muito comum disse o meu cunhado (não, ele ia ser perseguido pelo anuncio do ferrero rocher a vida toda)

As propostas se for menina


Sofia – Foi a The Cheese. Gosto do nome, é o nome que daria a uma princesa que não é ingénua. É clássico. Mas não, a minha infância teve muitas histórias de Sofias cruéis
Inês – NÃO
Joana – Já chega delas tambeim
Sara – Fui eu. Até agora é o único que não descartei, mas o filho não é meu
Mijardina – Pode ser
Sasha – Fui eu também. Muito russo. Muito diferente e o bebé pode não gostar
Raquel – Af, adoro o nome desde pequena, eu queria ter sido Raquel. Mas li algures que as Raquéis tinham problemas com a família
Ângela – Adoro. É dos meus nomes favoritos, mas temos um problema também. A tia da Alemanha. E muita gente queixa-se de ser muito angelical e tales. Ângela Raquel ficava tão bem, mas ninguém concorda
Adelaide – NÃO
Sabrina – Gosto. E a minha mãe a dar-lhe com a história da bruxa Sabrina. Vê lá, ainda é uma feiticeira e vai para hogwarts. Pelo menos tinha mais sorte que eu.
Samanta – Fui eu. A minha irmã não torceu o nariz. Mas eu tenho uma Samanta, ou Samantha como personagem duma história de terror

Então, digam-me. Vocês preferem meninas ou meninos? Estou a falar de crianças, não sejam badalhocos.