Archive for the ‘Podia chamar-se status’ Category

Fuck Yeah London

Posted: August 10, 2012 in Podia chamar-se status

Onde é que eu vou estar na segunda:
Peachy_sky_by_bhdr1995-d551dz2_large
London-hdr-piccadilly-circus-04_large
Só espero que não haja muita confusão por causa das Olimpíadas… Já bastou não poder ir ao estúdio onde gravaram o Harry Potter.

Advertisements

Não, não é Londres. Não vou lá por causa das olimpíadas u_u. Vou para uma cidade satélite de Londres e para Cambridge.

161566705351405026_9vhgpslh_f_large
Então até já… Broock you fuckers
image

Comprei uma palheta a dizer Jack Daniel’s. E adoro tocar guitarra com palheta. É tão melhor mais bom que com as mão para o dedilhado e criam-se sons giros. I’m awesome.

E olhem o que aprendi a tocar.
Esta música é a música mais fácil que já aprendi a tocar, mas é das melhores que já ouvi. 

Karma, baby

Posted: November 11, 2011 in Podia chamar-se status

Uh, como é que chamam aquela cena que quando nós fazemos algo mau isso volta para nós (ou coisas boas, também dá)? Ah pois é, pois é, karma.
Sinceramente eu nem acreditava muito nisso, apesar de achar que de facto existem energias positivas e negativas, mas a questão é: Não é engraçado quando os outros sentem na pele aquilo que nos fizeram sentir a nós? É minimamente intrigante, já diziam eles, cada um tem o que merece. 
And i never meant to brag but god does it feels so good. Just feel so good!

Tempo pára um segundo, espera por mim. Deixa-me reviver as doces memórias, deixa-me voltar a essa vida boa que tinha há uns anos atrás, deixa-me recuar um ano e recuperar uma pessoa. Deixa-me petrificada e impede todas as particulas existentes de se moverem. Deixa tudo paralizado. Por uns segundos.

[Morre Vevo, não me deixas por o clip dos The Offspring]

Do passado

Posted: May 14, 2011 in Podia chamar-se status

Não vale a pena ressussitar o morto, o que morre fica morto e não o podemos reviver. Mas eu não te posso deixar em branco na minha vida, nem rascunhar-te com ódio, eu vou guardar o teu nome no meu coração com muito carinho, como se fosses um papiro egipcio, valioso mas que faz parte de outro tempo, do passado.