Archive for March, 2012

Este post é dedicado para todas as raparigas com menos de 19 anos e com mais de 13 anos. Hoje vou revelar as minhas regras, pela primeira vez na história, hoje eu vou ensinar-vos a viver. Esqueçam, estou meio doente hoje por isso.

  • Não pensar excessivamente em dietas – É ridículo raparigas magras que começam a dizer que estão gordas e que começam a fazer as dietas mais rígidas e a dizer “ai este bocadinho aqui não pode estar no Verão”. Tem é de se sentir bem com o vosso corpo! E se se sentem bem ao comer um bolo então façam-no, não é um bolo que vos vai fazer engordar 5 quilos! É que a história do ginásio é muito estúpida, querem emagrecer? Peguem na bicicleta e vão dar uma volta, andem mais vezes a pé.
  • Não pensar em relações sérias até estar numa – Ou a regra do Barney, don’t think about marrige till your 30. Não pensem nem em casamentos nem em filhos nem em nada desse tipo de coisas até que elas existam, ao menos que seja em situações hipotéticas, mas vocês entendem-me. Se começarem a pensar que vão casar com o vosso namorado e ter filhos se acabarem vão ficar destroçadas, porque é como ter esperança naquilo que nunca existiu, idealizou-se tanto que a realidade não coincidia com os sonhos, e a realidade vai desiludir-vos porque vocês esperaram demasiado dalgo que não dependia de vocês. Vivam cada dia, vivam porque é isso que faz uma relação ser especial. Há coisas como um dia de verão insuportável passado com a persiana em baixo que fazem as relações serem únicas, são esses pequenos momentos vividos.
  • The future is bulletproof the aftermath is secondaryVocês vão morrer. Nós vamos todos morrer, e como diz o José Luís Peixoto, o passado nunca existiu, o futuro nunca chega. Sabem por quê? Porque o que importa é o hoje. Importa é fazerem aquilo que querem fazer. Viver um dia de cada vez. As consequências estarão lá, mas qual é a pior das consequências da vida? Morrer sem se ter feito aquilo que se queria fazer. E não vai ser estabelecendo objetivos no futuro que vão viver, é estabelecer os objetivos aqui e agora.
  • B.U. (pode ser lido como be you ou BUH) – Para mim o desafio mais difícil do secundário é ser eu própria. Mas sei lá, há coisas que são assim mesmo, difíceis, nós apenas temos que nós manter fortes. Pessoas com personalidade são poucas comparadas com os escravos das modas. Sejam vocês e ponto final, como podem saber o que querem se não sabem quem são? 
  • A maioria das coisas que eles dizem que são divertidas são uma merda – A verdade é que muito do entretenimento nem entretém, e há coisas divertidas que parecem uma merda mas não são. Entre o teatro e uma balada, qual acham que tem mais fama de ser fixe e mais fama de ser seca? A maioria das coisas que eles dizem que são divertidas são um tédio. 
É só isto.

P’o caralho.
Eu estou farta de ex casais que se odeiam, sabem? Farta mesmo, e não estou a falar de divorciados com filhos cuja separação tem uma história mais longa que o Ted Mosby a contar aos filhos em How I met your mother como conheceu a mãe deles. Estou a falar de jovens, adolescentes, o que for, eu sei que é difícil, mas não podem ao menos ultrapassar? Faz parte. Chega a uma altura em que a fase de ódio deixa de fazer sentido, não vale a pena odiar um ex namorado pelos erros dele para sempre, é ridículo. É raro quando dois ex ficam amigos, é quase que uma aberração, mas se não querem ser amigos então não faz mal porque é natural as pessoas não quererem ser amigas dum ex, tem as suas razões mas ao menos digam olá se passaram dois ou três anos e nem dor há, eu não pretendo com este post dizer que todos os ex’s devem ser amigos, a questão é: vocês beijaram essa pessoa, amaram-na, foi especial, e será sempre dalguma maneira pelo que não faz sentido, relações que duraram meses, talvez um ano tenham de ser a base de conversas onde o nome do outro tem um gosto amargo e dito por um sorriso trocista. Esqueçam, perdoem, sigam o vosso caminho, se ele aparecer na rua digam olá e toca a andar, é isso o que as pessoas fortes fazem.

Sinceramente? Nem eu nem ele tivemos outra hipótese se não deixar a normalidade ser reposta, foi algo que aconteceu como ficarmos apaixonados e deixarmos de estar apaixonados, porque é isso que acontece, fomos colegas, gostamos um do outro, namoramos, acabamos, odiá-mo-nos, ficamos afastados, tocamos no assunto e deixamos que as coisas acontecessem como aconteceram antes mas doutra maneira, eu considero-o um dos meus melhores amigos, e foi preciso acabarmos para eu me aperceber disso. E detesto que as pessoas digam que eu ainda gosto dele e ele de mim e que ex namorados não podem ser amigos porque é mentira, eu sei que houveram muito sentimentos, que há certas coisas que ainda não conseguimos falar porque é um processo que não sei de certo se tem mesmo um ponto final, mas sei lá nós somos amigos e se alguém tem dúvida que ex’s possam ser amigos, então deviam conhecer-nos, não, deviam ver-nos só a falar uma vez. Ele literalmente me manda à fava ou me chama vaca quando o trollo ou digo algo de meter nojo tipo “vou a portaventura”, ele manda-me quatro mensagens seguidas porque eu não lhe respondo (a dizer o mesmo), ele chama-me burra e estúpida quando fumo, nós falamos de namorados, de sexo, ele é tipo aquela mente masculina que me ajuda a compreender as outras, ele dá-me conselhos acerca do que fazer em caso de se gostar de alguém, ele é meu amigo. É uma amizade, a única coisa é que curtimos e tivemos sentimentos um pelo outro. O resto é secundário.
E é isso que as pessoas não percebem, foi por tudo aquilo que nós passamos (e há posts de tempos atrás bem aziados sobre esse período) que eu sinto ainda mais como se isso reforça-se a nossa amizade, e reforça mesmo, nós não nos falamos durante um ano, eu não o quis ver nem pintado durante mesmo muito tempo, e agora ele é o tipo mais espetacular a fase da terra ao qual eu pergunto “hey então como é que funciona a mente masculina mesmo?”. É disto que as amizades são feitas. E é fantástico, eu nunca pensei que as relações humanas pudessem ser assim tão fortes. Surpreende-me.
São pequenas coisas que a maioria das pessoas não entende. As pessoas ficavam melhor caladas. A partir de agora como o nível de friendzone está tão elevado se alguma colega me voltar a perguntar se ainda gosto dele vou dizer que sim só para ver a cara dela, e depois adiciono que curtimos na outra noite e que ele traiu a namorada, depois passados três segundos rio-me, e eventualmente eu e ele gozaremos com essas pessoas  porque nós somos legend… wait for it… DARY! LEGENDARY!

É muito simples. O meu lado da blogosfera está cada vez mais morto e não encontro blogs jeitosos, portanto vocês vão indicar-me blogs, de preferência que não seja um com mais de 900 seguidores e de humor porque provavelmente já sigo. 

Podem orientar-se pelos seguintes pontos de gostos:
  • Blogs de “escritores”, que tenham textos bem escritos
  • Blogs de adolescentes que sejam fixes como eu
  • Blogs de humor, insólitos e coisas do género
  • Blogs fora do normal, por exemplo eu no outro dia vi um que era sobre góticos a trepar árvores
  • Blogs de pessoas que gostem de rock
  • Blogs pouco conhecidos
  • Blogs que não sejam feitos a base de 80% de desgosto de amor ou coisas assim
  • Blogs masculinos até porque isto é só gajas e uma pessoa também gosta de meninos
Quem não indicar um blog não é fofinho.

Estava aqui no youtube a ver uns vídeos-tag, que funcionam tal e qual como as tags do blogger caso não saibam mas em versão vlog.
Havia uma tag entre os falantes da língua inglesa, americanos, ingleses, canadianos, australianos, o que fosse, que consistia numa série de palavras e de perguntas que diziam /respondiam e passavam, se não percebem o que eu digo vejam um pouco dos vídeos:

Pela variedade de acentos que existem adorava ver algo assim com a língua lusófona, português do Brasil que sei distinguir apenas dois, o de Portugal (Vijeu, Abeiro, Pourto, Lisboa, Alêntêju, Brâgânça, o que for), e os das Palops que por acaso até tenho uma colega que fala o português da Angola. O nosso problema é que o português só é falado em dois países mais desenvolvidos (fodasse não vou considerar Brasil como não desenvolvido que eles dominam a internet e uma pessoa já nem pode fazer copypaste), e segundo se diz, corrijam-me os brasileiros se estiver errada, vocês estão a safar-se da crise mundial e a crescer muito economicamente (enquanto Portugal só está a sobreviver por estar na europa… Mas vá, somos uns fixes na mesma).
Seja como for, eu gostava de ver algo parecido, fazer um questionário e um conjunto de palavras com outros blogueiros para depois se fazerem vídeos. Ou um só vídeo com todos os acentos. Não sei digam-me vocês.

Já NÃO se dança como em 1999, deu para entender? Ninguém dança assim, retardadamente, dança-se de uma nova forma retardada, não como em 1999 ou 2000. Aconselho-vos a ir a uma discoteca o mais rapidamente possível. Não que eu tenha ido a uma mas tenho um colega que vai todas as semanas e como passa a vida a ouvir música nas aulas de tunkz tunkz tunkz e a dançar dá para ver. Pronto, tá-se, a retardada aqui sou eu que de certeza sou a única pessoa da minha idade/geração que nunca meteu os pés numa discoteca.

Estou só a brincar, a verdade é que eu sei que se me vier a casar e tiver um casamento normal, de certeza que vão dar músicas de 2012, tipo I got a hangover wo-hoo-oo, ai se eu te pego delícia assim você me mata, I’m sexy and I know it, ou ainda de 2009, la la la la la la I can walk on water I can fly, po-po-po-po-poker face mamama. Ou se tiver o poder, música rock.
O engraçado é que eu fiquei toda contente quando meteram LMFAO e os tipinhos ficaram quietos, e eles estavam a dançar com uma energia do caraças! Ninguém fica quieto ao som de LMFAO, NINGUÉM! Eu já não suportava mais música da geração deles, diz-se música da geração deles aquela que era a comercial porque eles são os fdp que tiveram os Guns N roses, Nirvana e outras coisas em primeira mão. Então quando deu Sweet Child O mine um esteve a fingir que era o Axl a dançar, os outros que eram o slash com guitarras falsas. A sério que adoro essa geração. Eles costumavam adorar-me por ser a irmãzinha fofinha e queridinha da colega de secundário e universidade deles. Agora pronto, ela casou-se e eu já não tenho mais 9 anos. Sad, but true.
O objetivo deste post é de facto postar algumas músicas (umas que gosto, outras nem tanto) que hão de passar num casamento da década 20 dalguém da minha geração visto que eu não tenho muito o sonho de casar, a não ser se for para me casar na Disney (com um carrossel de abóbora tipo Cinderella), no Hard Rock Hotel ou em Las Vegas longe de tudo e todos.