I ship them, fucking life

Posted: January 26, 2012 in Bipolaridades, Cenas que escrevo, Contemporaneonissimo
Shit happens 
Eu passei de eterna sonhadora romântica a frustrada sem paciência para essas merdas. E sempre admirei casais que duravam porque eu não tenho nunca certeza do que sinto se é que sinto, e quando acho que sinto fujo ou encontro razões para não gostar do rapaz. E tudo o que me resta são os sonhos que parecem realidade, acordo a pensar como seria bom se fosse realidade, mas quando realmente acordo percebo que as coisas não são assim tão fáceis. E um dia encontrei um casalinho da minha idade que namora desde os 12 anos (3 anos de namoro), encontrei-os, e sempre gostei de como eles eram como relação, perguntava a moça como era possível, e ela só dizia que não podiam acabar por se chatearem. E sempre os admirei, tão queridos, tão doces, quase inocentes e puros, quase aquilo que eu quero um dia. Quase.

E tudo poderá escapar das suas mãos em poucos meses, não porque o amor não seja suficiente, não porque se chatearam, não porque há diferenças, não porque nunca se sabe, mas porque o namorado pondera a opção de emigrar fortemente, fortemente mesmo. E ela continua nos braços dele, como se não se passasse nada, como se houvesse a promessa de ficarem juntos. E isso entristecesse-me. Eu só queria que ficassem juntos para sempre. I ship them, fucking life.
Ele só tinha vindo a Portugal para procurar um chance, como eu fiz aos seis anos, ele veio e encontrou-a. É injusto sabem? Sentirei muito mais por eles se ele voltar ao seu país de origem do que eu alguma vez senti quando acabei com o meu primeiro namorado, porque nós perdemos a química, eles tem-na, e digo-vos, essa química é uma combinação muito específica do que vocês inconscientemente querem, e é rara, eles tem-na. E parece que lhes querem arrancar essa hipótese. We never had a choice, this world has too much noise.
Depois ainda me perguntam porque é que eu simplesmente não me atiro aos braços do rapaz dos meus sonhos das últimas noites, depois eu ainda me pergunto porque não? Se foi tão bom… .Depois ainda querem que eu acredite no amor, ele é que parece não querer acreditar em nós. Naqueles dois pombinhos que só tem 15 anos e tem mais maturidade do que muitos adultos que não conseguem segurar uma relação. I fucking ship them. I fucking want to see them together forever and ever.
E…Os pais do rapaz dos meus sonhos das últimas noites chegam a pensar em ir para a Alemanha. E não, eu não o quero tanto como quero aqueles dois juntos porque eu nunca tenho certeza do que sinto se é que sinto. Mas mesmo assim, é injusto sabem? Tirarem-nos as chances e partirem-nos os corações. É tão injusto, nós não fizemos nada de mal. It takes me under once again
Advertisements
Comments
  1. R* says:

    Adorei, mesmo.

  2. Hayley Nya* says:

    Oh… :/ de facto, se eles são como descreves, têm mais maturidade que muitos casais e concordo com essa tua visão. O amor é que parece não acreditar em nós… Fuck the life!

  3. R*: Obrigada 🙂
    Hayley: É mesmo -.- É tão dificil.

Comenta aí

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s