Mentes fechadas atrasam o desenvolvimento cultural

Posted: December 30, 2011 in Tipo não te estou a acompanhar
Tumblr_lnz7pxpo5x1qg9lbgo1_500_large

Lembro-me que no ano passado, à conversa com colegas, uma amiga minha admitiu que era bissexual. Eu já sabia disso e a maioria das pessoas a participar na conversa nem ligou, nem criticou, nem disse nada de nada, era algo normal, ou pelo menos era algo que ninguém tinha haver. Mas uma rapariga de mente fechada e mesquinha teve o descaramento de dizer com ar de espanto:

        -O quê?! Tu?! Só podes tar a brincar! Diz-me que tás a brincar!
Eu não gostei e não me lembro bem do que disse, mas provavelmente foi:
        -Qual é o problema? Tens alguma coisa haver com isso?
A minha amiga decidiu desmentir e dizer que estava a brincar e eu acabei por fazer o mesmo. No fim falei com ela e tudo o que me lembro é dela falar com nojo da rapariga de mente fechada. 
E durante algum tempo ela teve uma namorada, não me lembro durante quanto tempo ou se foi realmente algo mesmo sério, mas lembro-me que eu lhe perguntava como é que funcionava uma relação com outra pessoa do mesmo sexo e ela ia-me respondendo com poucos rodeios porque sabia que eu só tinha curiosidade e que não ia criticar. 
Desde que entrei na adolescência sempre estive rodeada de pessoas de várias orientações sexuais, embora os heteros dominem em questões estatísticas assim como os homofóbicos. Só que, não existem gays completos ou heteros a cem por cento. Há mesmo teorias que admitam que nós nascemos bissexuais e só depois a sociedade nos enfia coisas na cabeça. Eu não sei eu só sei que sempre vivi num mundo cheio de pudores e mitos que me fizeram pensar em pequena que era errado a masturbação, que o sexo era para pessoas pobres e sujas, que o sexo era algo do diabo, que as pessoas que se tocavam iam para o inferno, que só havia amor entre uma mulher e um homem, que era errado, que era mau, que era do diabo, que Deus me ia castigar, que Jesus ia saber. E enquanto que os pais encorajam os meninos a masturbarem-se, repreendem as meninas. Pelo menos na minha infância, pelo menos comparando as histórias e os podres de amigos e colegas. E se a sociedade ainda tem problemas com o raio da masturbação é óbvio que os problemas e pudores com os gays e bis são bem maiores. 
Não entendo, não entendo. Ainda neste período pessoas da minha turma andaram durante muito tempo a gozar com um bissexual/gay da minha escola, e houve um rapaz que se andou a gabar de ter gritado “Gays? Não! Eles que vão para o inferno” (ou algo parecido, já nem sei) no primeiro andar e o rapaz bissexual/gay ter ouvido lá em baixo. E eu não gostei da situação, não gostei.
É que enquanto uma parte das pessoas vão abrindo cada vez mais a mente, outra parte parece que fica nas cavernas sem evoluir. 
Advertisements
Comments
  1. muito gostei de ler este teu post, tão coincidente com a minha opinião sobre o assunto. Acredito firmemente que a sociedade nos ensina a ser heterossexuais e homofóbicos. Mas, e “graças a deus”, os efeitos nem sempre são unilaterais, dando espaço a que pessoas como nós (e muitas outras) possam aceitar as pessoas tal como elas são ou sermos tal como somos.

    Nada a acrescentar ao teu post 🙂 apenas que tiveste sorte porque tiveste oportunidade, desde muito cedo, de contactar com pessoas “diferentes”. Já eu, e apesar de viver no teu adorado Porto :P, sempre vivi rodeada de pessoas preconceituosas e más. Só há muito pouco tempo é que comecei a contactar com pessoas inteligentes e com visões e formas de vida diferentes. Da minha infância tenho apenas memória de um rapaz da minha turma da escola primária que brincava com bonecas e dizia que tinha a colecçao completa das barbies. Muito o excluíram e gozaram mas hoje é um gay assumidíssimo/confiante e tem um cabeleireiro invejável e muito frequentado aqui na vila. Os outros burros, nem sei deles, devem andar a viver às custas do subsídio de desemprego ou algo extremamente compensador.

  2. Olha este foi dos teus posts que mais gostei de ler (vê lá, eu que já adoro todos os outros em geral :p)
    Como disse a Boneca de rapos, nada a acrescentar mesmo. Só mesmo que continues assim open mind 🙂

  3. Cassandra says:

    Um bom texto , de facto.
    E concordo completamente. A sociedade é que nos impõe os preconceitos, o que gostar ou não. Somos umas autênticas marionetas! Seja a nivel de religião, polica e por aí.
    O ano passado, fiz um trabalho de AP sobre a Homofobia.
    TU não imaginas o quanto foi dificil!
    Era destinado a alunos do secundário e a direcção da escola aceitou o nosso trabalho mas pelas costas, dificultava-nos o trabalho o quanto podiam. Dizeram que nao podiamos colocar cartazes, criamos um blogue. Ao fazer um inquerito, eles leram-no e bem quase que fomos vitimas de censura –'
    Para realizar uma palestra, vimo-nos totalmente gregos! Mas conseguimos! Apesar do nosso trabalho nao ter tido tanto impacto como o dos outros grupos, que se focaram em coisas ambientais e a nivel de saude. Gostei realmente do fazer! E aí vi que apesar de muitas pessoas dizerem que sim ou que nao se importam em relação à orientação sexual … é tudo mentira! Importam-se e não é pouco!
    Beijos, Cassandra

  4. Um post muito interessante contendo muitas verdades mas também muitas falácias.

    Eu respeito muito os homossexuais, tenho inclusive dois grandes amigos que o são, no entanto nos últimos anos tem-se tornado moda colocar os gays/lésbicas no pedestal. Já se vêm séries de tv onde os casais são gays e isso para os mais arautos é muito “fashion” e “trendy” e por este andar daqui a vinte anos haverá manifs de rua de heterossexuais exigindo os seus direitos.

    A homossexualidade deve ser respeitada mas não concordo que deva ser fomentada, só por uma questão de igualdade social pelo menos para mim que tenho uma mente resolvida nessa questão, par além do casamento entre gays já ter sido legislado.
    Não há problema nenhum em ser heterossexual como não há problema nenhum em ser homossexual, e se tu és heterossexual não foi devido à educação que tiveste. Eu nunca fui instruído a me masturbar, fi-lo porque me apetecia, o mesmo creio que é o que as raparigas devem fazer e o fazem por mais que muitas tenham receio em o admitir. És hetero pois isso é um processo antes de mais químico e biológico e não uma “construção social” como alguns o querem fazer entender que é somente para justificar toda e qualquer tendência diferente.

Comenta aí

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s