Teoria da evolução e a teoria da greve

Posted: November 24, 2011 in São teorias

Não quero sinceramente saber das manifestações, os gajos que de matem todos longe, desde que me deixem estudar geografia e matemática, quero ter um futuro ao contrário de uma grande parte dos meus colegas que seguiram humanidades porque é fácil. Não quero saber neste momento dos valores, dos números, das estimativas, das mentiras. A única coisa que eu sei é que é preciso trabalhar, a única verdade é que nada está bem e nada estará se o dinheiro se continuar a perder em greves inúteis. Se for agora ver o dinheiro que já se perdeu, os voos cancelados vou ficar chateada e perder fé na humanidade. Portanto, vou ficar por aqui pelo blog, em volta dos livro, e agora vou ver HIMYM porque estou cançada e quando tiver tempo eu preocupo-me com os seres humanos que parecem não terem evoluído ao longo do tempo. Temos 4 bilhões anos de evolução, incluindo 150 mil anos de evolução humada, há muita história no nosso sangue, muita sabedoria nos nossos genes e foi-nos concebidos um cérebro, mas parece que muitos não o usam, os que faltaram ao trabalho porque sim ou porque acham que a manifestação os levará a algum lado são prova dum atrazo na espécie humana, graças a Deus que ainda há quem evolua. Eu tenho 150 mil anos de evolução, e tu tens mesmo?

Comments
  1. pelo que dizes, eu sou o resultado de evoluçao nenhuma. Acho que muito mais preocupante do que isto tudo é as pessoas calarem-se e resignarem-se e ficarem sossegaditas no egoísmo do que é mais fácil e não lutarem pelos seus direitos constitucionais e afins. Mais preocupante é as pessoas não lutarem por aquilo em que acreditam. Talvez a greve nao seja a melhor das iniciativas. Sou mais a favor de manifestações construtivas, inteligentes e que tragam algo de novo. Mas de qualquer forma, não é a greve geral que te vai tirar o futuro, mas sim estas políticas alienadas. aliás, a forte adesão à greve é o reflexo dessas politicas de “salvação” nacional que nao vao resolver crise nenhuma nem vao dar emprego a ninguém. A maioria é injustiço (lugar a excepções) e se é injustiça, as pessoas que falem, que se revoltem e que mostrem que sao importantes no dia-a-dia de todos os portugueses. Verdade seja dita, muitos homens só se apercebem da importancia do trabalho da mulher quando ela decide não o fazer. Idem para os funcionários públicos.

  2. Boneca: Por acaso acho que até és, o teu comentário é prova disso. Não sou dogmática.
    Não, acho que não foi mesmo uma boa ideia a greve. Estou de acordo contigo nas manifestações inteligentes, porque algo novo e audaz chama a atenção.
    Os funcionários públicos já é outra questão, muitos nem tem razão de queixa, imagina que os pilotos da tap (acho que é privado mas tanto faz) recebem praí 10 mil ou lá o que é e fazem greves, estagnando a economia do país e da europa.

  3. A maioria é injustiça (lugar a excepções)

    foi o que eu escrevi.

    … a tua primeira frase seguida de “não sou dogmática” é verdadeiramente incoerente. e lamento, de facto, que essa seja a tua opinião sobre mim… whatever

  4. Boneca: Não é, o facto de eu ter uma opinião não significa que não respeite outras e que não as analise, não foi minha intenção alguém me levar a mal. Se me consideras dogmática pronto.

  5. eu nao te considerava dogmática. considerava-te uma rapariga inteligente. Eu não sigo pessoas de quem não gosto, muito menos comento blogs de pessoas de quem não gosto. agora, sinceramente, assumires que achas que sou o resultado de evolução nenhuma simplesmente por eu discordar do teu ponto de vista, é um dogma. Isso é inegável. (além de ser uma falácia). Nunca de minha parte ouvirias tal coisa.

  6. Boneca: Tass. Não posso fazer nada quanto ao que os outros pensam sobre mim, e se me achas dogmática problema teu – se eu te ouvi e te dei na razão numa parte, significaria que não sou dogmática, porque existe o que se chama pensar em pessoas em particular e quando vi alguém a opor-se a mim com uma ideia inteligente achei por bem ouvir, porque a partilha de ideias e opiniões é sempre boa. Eu digo o que quero, se as pessoas levam demasiado a peito ou levam simples opiniões a indiretas, quando nem se quer me referi a ninguém em particular é um bocado estúpido, eu nunca disse que tinhas um atrazo, ou disse? God, sinceramente nem sei o que é que aconteceu aqui mas cago nisso porque eu sou responsavel pelo que digo não pelo que os outros interpretam. Take care.

  7. ouve, eu nao quero discutir nem tirar-te a vontade das redes sociais. Mas se nao compreendeste eu vou explicar-te o que se passou.

    Victoria: Eu tenho 150 mil anos de evolução, e tu tens mesmo?

    Eu: pelo que dizes, eu sou o resultado de evoluçao nenhuma.

    Victoria: Por acaso acho que até és

    Portanto, sim, disseste-me, a mim directamente, que eu tenho “um atraso”.

    — — — —

    Gostei da ultima frase. Mas eu apenas interpretei aquilo que escreveste. 😉

  8. Eu quis dizer que achei o teu comentário inteligente e por isso disse “Por acaso acho que até és ( resultado de uma evolução)”. Eu não disse que tinhas nenhum atrazo.

  9. ah… se era isso que querias dizer, então tenho de pedir desculpa. De facto nao foi isso que compreendi. por isso nao estava a fazer sentido nenhum… desculpa =)

  10. Boneca: Não faz mal xD Acontece a todos.

Comenta aí

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s