Mãe não chores mais

Posted: January 5, 2011 in Cenas que escrevo

Querida mãe,
Prometeram-nos que a guerra acabaria em breve, mas tal não aconteceu, ontem foi o pior dia e o filho da nossa vizinha morreu. As armas são pesadas, as mascaras que nos dão limitam a respiração, as roupas estão corroidas pelas malditas ratazanas e houve um surto de piolhos, e ele simplesmente não aguentou como tantos outros. É cruel mãe, mas todos nos vamos morrer. Não chores porque não temos medo, nos já vimos o inferno.
É um sentimento horrivel saber que temos de matar para não sermos mortos, e o ambiente não favorece, há poças de sangue que somos obrigados a pisar e pedaços humanos recem-mortos que caem connosco quando somos projectados para traz, normalmente por causa de uma bomba que é lançada pelo inimigo. É cruel mãe, mas todos nos vamos morrer. Mas não te preocupes porque nos já vimos o inferno.
Eu devia ter sido um filho melhor, podia ter ajudado a criar os meus irmãos, trabalhado no campo, casado e ter tido filhos, tirado um curso de medicina, mas escolhi o caminho do diabo e não há forma de sair, porque mãe, todos nos vamos morrer.

Ps: Esta carta foi criada por mim e inspirada na 1º guerra mundial, não é real, é fruto da minha imaginação, porém realista.
Comments
  1. PauloSilva says:

    Ainda bem que gostaste 🙂

    Mesmo tendo que se tornar num assassino o personagem nunca deixou de ser um menino da mamã. Gostei ❤

  2. PauloSilva says:

    Mas embora isso, todos eles foram grandes heróis.
    Beijinhos *

Comenta aí

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s