Para os meus amigos rapazes*

Posted: December 29, 2010 in Quando era suposto estar a estudar
Tumblr_le5y7bgdo81qf46m8o1_500_largeNão consigo concordar com a maioria das raparigas que acham que os rapazes são estúpidos e “todos iguais”.

Desde pequena sempre me dei melhor com rapazes, deixava de brincar as bonecas com as meninas e partia para uma aventura com os rapazes, que incluiam legos, carritos e muitas arvores para trepar. Comigo estavam no máximo três meninas, pois o resto delas achavam-nos sujos e muito parvalhões. Mas eu considerava-os divertidos, mais entretidos com a acção do que com a beleza, namoricos ou brincadeiras mais paradas.

Hoje que tenho quase quinze anos a maioria dos conselhos que peço são dados por rapazes e pela minha melhor amiga. Prefiro desabafar com os rapazes, pois eles conseguem guardar melhor um segredo, não tem aquela necessidade de contar a alguém, pegam no comando da playstation em vez do telemovel para falar mil e um segredos, pessoais ou de outros, elas gostam muito de “cuscar”.
Não os podemos julgar quando o assunto é sexo (ou amor, mas as duas coisas estão interligadas) porque nos raparigas também temos os nossos defeitos. Eles são mais simples, nos complicamos mais a situação. Nos somos mais vingativas, eles viram a página da sua vida e vivem uma nova, mas sem esquecer a última.
Nos discutimos muito, preocupamo-nos em demasia e julgamos muito outras raparigas. Eles discutem pouco, preocupam-se pouco e julgam pouco outros rapazes. Sim, por vezes são brutos, mas a rapariga não é nenhum ser indefeso, é frágil e sabe usar a sua fragilidade como arma.
É por isso que o rapaz e a rapariga se completam, porque a fusão das qualidades e dos defeitos de um do outro tornam-no num ser capacitado de ser (ir)racional.
Gostava que as pessoas parassem de criticar ambos os sexos e percebessem que somos da mesma espécie.
*PS: Isto é o geral, não me refiro a pessoas concretamente mas sim a sociedade.
Comments
  1. 🙂 é engraçado ver todos esses esteriotipos no post. Mas a verdade, cientificamente, é que os rapazes “amadurecem” mais tarde do que as raparigas. Daqui a uns anos, vais notar uma grande diferença nos rapazes, porque eles começam a importar-se e a falar dos outros e das outras. Provavelmente agora sentes-te mais segura assim, mais próxima dos rapazes, porque estás mais próxima, digamos, da inocência. Mas com o tempo vais perceber que homem e mulher não podem ser assim distinguidos. Elas também pensam e falam muito em sexo, eles também complicam as situações. Elas também conseguem virar para a página seguinte sem esquecer a última mas sem guardar rancor e eles também são vingativos, etc…

    [ A fragilidade também não é a arma da mulher. Porque ela nem sequer é frágil. A sociedade é que a quer frágil e fazer com que nos acreditemos nisso é a arma dos homens para que a mulher continue submissa. ]

    Por tudo isto, não posso concordar que homem e mulher se completem. Há determinadas pessoas que se completam. Pode ser o homem A e a mulher A ou pode ser a mulher A e a mulher B ou o homem A e o homem B. Enfim, o que quero dizer é que o que importa é o carácter de cada pessoa individualmente e não classificar todas as mulheres como sendo mulheres e todos os homens como sendo homens e, como tal, por pertencerem a um “género”, partilharem todos de características comuns que são definidas através do contraste com o outro “género”…

  2. ana moura says:

    muito obrigada 🙂
    concordo com a maioria sim senhora, mas sim, para ser sincera sou uma das que acha que são todos iguais, mass, admito que muitas vezes prefiro falar com eles do que com elas!

  3. Sim, na vossa idade as diferenças notam-se por causa da diferença no “amadurecimento”. Mas se comparares uma rapaz de 15 com uma rapariga de 12, talvez as diferenças não sejam muitas. (mas, claro, também não podemos negar que há outro tipo de diferenças, físicas e emocionais, que estão presentes em qualquer faixa etária).

    Claro, a mulher também quer que a mulher seja vista como sendo um ser frágil (leia-se mais frágil do que o homem), por isso, é que digo que é a sociedade que o quer. e a sociedade é constituída por homens e também por mulheres. Mas isto são questões culturais ligadas ao sexismo e às tradições patriarcais muito difíceis de sintetizar em poucas palavras. de quanquer forma, esse é um instrumento que beneficia e superioriza SEMPRE o homem. e julgo que, tu, mesmo que inconscientemente, entendes isso. O facto de te dares mais com rapazes também tem a ver com a consciencia que tens de que eles não são superiores e que tu podes fazer o mesmo que eles, subindo às árvores, por exemplo. É também uma forma de provares que não és frágil. isso é muito positivo

    fico muito irritada quando vejo raparigas da tua idade e mais novas agirem como as “princesas” e “raínhas” pop, despreocupadas com questões como esta, preocupadas com futilidades e mexericos e a sonhar com o homem “ideal” (que, para elas, será lindo, musculado e rico)..

    enfim, estou para aqui a escrever imenso, desculpa. Tudo isto é uma questão pela qual me debato muito e tenho um blog só dedicado ao feminismo (diariodasfemeas.blogspot.com). Se estiveres interessada em compreender melhor a descriminação da sociedade na educação de rapazes e raparigas aconselho a leres os primeiros capítulos da parte II do livro da Simone Beauvoir. Podes encontrar também no meu blog, no final da página Simone Beauvoir.

  4. pois é.. isso é bem verdade, infelizmente. Esperemos que as excepções, ao longo dos anos, se vão tornando regras.. 😉

Comenta aí

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s