Archive for October, 2010

Revolta!

Posted: October 23, 2010 in Cenas que escrevo

Não é ciume.
Não não é.
É revolta. Se é isso que querem saber. Ciumes de que? De escolher o lado facil da vida e viver confortavelmente?
Não. Estou bem onde estou. Estou bem com as escolhas que eles fizeram por mim.
Para não me tornar naquilo que hoje mais odeio.
Para ser uma pessoa humilde.
Para acreditar que um dia o inverno acaba, por mais longos que sejam e por mais que nos queimem a pele de tanto frio, eles acabam. Digo-o subjectivamente e literalmente. As coisas más passam e eu acredito. Sou positiva. Pode não parecer. Porque nem tudo em mim se transparece.

É revolta. Revolta contra sistemas que cortam e limitam a respiração.
Contra todos os sistemas que limitam o ser de alguém. Todos mesmo. Contra os que tem corrupção a sair por todos os buracos. Contra a ditadura. Contra a guerra. Contra o desperdicio de dinheiro em coisas inuteis, contra coisas que foram dadas e depois tiradas em vão. E porque? Porque é que o mundo é assim? Porque gira em volta do dinheiro. A crise ainda está apenas a começar.
É revolta.

A inocência

Posted: October 23, 2010 in Cenas que escrevo

Ela não dura muito, as crianças não são tão inocentes como parecem. Ser inocente é não ter culpa, tem que se estar longe deste mundo. Longe da cena de crime. Qual é o lugar mais longe da cena do crime? O berço. O lugar mais puro no que toca a humanos.O mundo está dividido em vários tipos de pessoas. As testemunhas, os inocentes, os vilões, os heróis, os cúmplices e as vitimas. Não és inocente neste mundo. Ninguém que esteja a ler isto o é. Apenas viver no mundo é ser-se “testemunha”. Na verdade nos podemos ser cúmplices, heróis, vilões, testemunhas ou vitimas em diferentes “crimes” dos quais vivemos no dia a dia. Mas nos podemos escolher pelo o que queremos ser reconhecidos. Temos esse direito.
Os heróis combatem o mal, os vilões fazem o mal, os cúmplices colaboram com os vilões, os inocentes estão no lugar mais seguro do mundo, as testemunhas assistem as jogadas e as vitimas são as que se deixar abater.
Todos nos fomos inocentes até momento que nos arrancaram do berço. Tiveste a hipótese de escolher entre ser vítima, herói, vilão, testemunha ou cúmplice. Agora pensa e repensa na escolha que fizeste há anos atrás, mas lembra-te nem tudo se divide em preto e branco.

Desenha, calcula, canta, toca guitarra, pinta, cozinha, faz tudo com se alguém te contemplasse. Dá o teu melhor, nunca esperes o melhor de ti, simplesmente da-lo, simplesmente se-lo. Sê tu. Seres tu é a melhor arma para lutares neste mundo. Portanto tens que fortifica-la, ama-la, conhece-la, mostrar ao mundo o que ela vale. O que tu vales. Grita, chora, dá um murro na parede, rasga, queima, faz tudo como se alguém te contemplasse, como se alguém chorasse contigo, como se alguém te empurra-se contra uma parede e te dissesse “Luta! Estás a meio da corrida! Não desistas!”, meio severamente meio docemente.Não te deixes cair, não te deites na cama a chorar pelo dia ter corrido mal, por estares a passar por uma fase negra da tua vida. Faz tudo como se alguém te contemplasse. Faz tudo como se estive lá alguém. Esse alguém faz parte de ti. Está enterrado no fundo na tua mente. É a tua auto-confiança. Cria-a se não a tens. Preserva-a e ama-a se ela já lá está. Auto-confiança é alo tão real e tão necessário como a tua pele. Ela protege-te. Ela é indispensável. Ama-te e serás amado de volta.

Don__t_give_up_by_peace_love_tea_largeO que te faz ser ou não um rejeitado? Se acreditas nas merdas que eles dizem, és um rejeitado. Se acreditas que o que eles dizem são apenas merdas, és um lutador. Eu quero ser um lutador. És tu quem defines as coisas, és tu quem decides ser ou não o rejeitado. És um rejeitado se aceitas e concordas que és um rejeitado, e para além de seres rejeitado, és um idiota. Penso que a rejeição é algo que nos ajudam, é algo humano, é o que nos dá provas se eles nos querem conhecer melhor, se eles são verdadeiros amigos, ou vice versa, se queres ou não conhecer melhor uma pessoa ou se és um verdadeiro amigo dessa pessoa.
Rejeitar alguém quando se tem razões é humano, vive com isso. Mau é falar mal das pessoas nas costas, mas quem é que ja não falou mal de alguem nas costas? Eu já, mas afasto-me e não quero nada com essas pessoas. Horrível é falar mal de uma pessoa que tu defendes, que tu ate pareces gostar, mas no momento da verdade tu mostras quem tu és e o que na realidade achas dessa pessoa (ou não, as vezes só dizes merda pela moda o que é ainda pior). Pior ainda que horrivel e muito idiota, é falar mal das pessoas numa rede social, onde todos podem ler. Porque é que não dizes as coisas na cara? Tens coragem para isso? Não não tens. É o que eu acho de todos vocês.

Metem-me nojo.